domingo, 2 de novembro de 2014

A militância moral do Marxismo (Brasil e Rússia)

A militância moral do Marxismo (Brasil e Rússia)


O que une Brasil e Rússia no tocante à moralidade?

O que mais o Brasil importa da Rússia além de fertilizantes? Eu respondo: a moral


O marxismo cultural quem reina em ambos os países citados tem, em grande parte dos casos, uma origem comum. O Brasil participa hoje de um grupo de nações conhecido internacionalmente como BRICs, onde se reúnem nada menos que as duas maiores potências comunistas mundiais: Rússia e China. Com a China nem tanto, mas com a Rússia as relações nunca tiveram melhores…

Rússia e Vladimir Putin em defesa da “família”

O Fórum da Família Grande e o Futuro da Humanidade (Fórum FGFH) teve sua abertura no Kremlin, reunindo políticos e ativistas conservadores de 45 países, principalmente dos EUA. Esse tipo de evento, especialmente em seu formato internacional como tem sido feito pelo Congresso Mundial de Famílias, foi uma ideia original de Anatoly Antonov e Allan Carlson. Num jantar perto de uma antiga sede da KGB, Antonov me disse que ele havia sido torturado pela KGB e enviado ao Gulag na década de 1960. Ele tinha então 19 anos e era um dissidente da tirania soviética. Hoje ele é um filósofo e professor da Universidade Estatal Lomonosov de Moscou. Os participantes do Fórum FGFH criticaram o aborto, o “casamento” homossexual e as paradas gays como ameaças aos valores tradicionais.

Júlio Severo, famoso blogueiro da internet foi um dos participante, veja as fotos:

É bem emblemático o símbolo atrás de Júlio Dom Feder: a famosa estrela vermelha com a foice e o martelo

“Ao escolher valores conservadores e encabeçar a defesa deles na ONU, a Rússia representa uma esperança para combatentes pró-vida num mundo cada vez mais corrompido pela devassidão do sexo livre, imposição do aborto, abrangente educação sexual imoral, controle populacional, doutrinação homossexual mediante a mídia e escolas, concordaram os participantes de um fórum em 10 de setembro em Moscou, Rússia”


O presidente Vladimir Putin enviou uma saudação aos participantes por meio de uma autoridade de seu governo. Em sua mensagem, Putin falou sobre a “crise demográfica de grande escala” que a civilização enfrenta e “a erosão dos valores morais” no mundo inteiro.



O rabino Berel Lazar (Figura ao lado), o chefe dos rabinos da Rússia, disse que no Ocidente surgiu um “estranho estilo de vida” que rejeita crianças. “Graças a Deus isso não é aceitável na Rússia de hoje,” acrescentou ele.
Deve prestar atenção à falar do Rabino, nela há a ligação imediata entre Deus e a Rússia: “Graças a Deus isso não é aceitável na Rússia de hoje”. Quando ele diz Rússia, está dizendo prioritariamente governo, política. Há uma clara união teocrática entre consciência política e consciência religiosa. Deus e o Estado se veem novamente unidos, agora em nome da “moral e dos bons costumes”.
Mais uma vez temos o Marxismo moral se manifestando em defesa daquilo que ele considera legítimo. Neste caso o conceito de família que ele julga melhor para as relações humanas. Ora, essa discussão só pode vir à tona por parte do Estado quando ele (o Estado) começa à fazer uma preferência e à realizar a apologia dessa preferência matrimonial. Nisso temos um Estado totalitário que controla todas as instâncias da vida de um cidadão, até mesmo a sua preferencial sexual. Isso é parte da mentalidade revolucionária socialista; então lá está Júlio Severo confesso conservador brasileiro à abraçar a moral Russa/marxista.
Vladimir Putin é visto como o grande líder, um enviado por Deus para restaurar o império cristão que está em decadência. A Rússia é predominantemente dominada pela ética cristã Ortodoxa, da qual a igreja ortodoxa Russa é quem dá as cartas nesse jogo.

No Brasil a moralidade marxista atua principalmente na sexualidade e defesa dos “fracos”

No Brasil, com todo o Judiciário aparelhado pelo governo do PT e sua ideologia de “proteção dos mais fracos”, tipicamente de origem socialista (só pra citar um caso recente!) um juiz mandou recolher de todas as bancas de jornais uma revista destinada ao público infantil por entender que esta apresentava ensaios sensuais com crianças:


Em sentença publicada na sexta-feira (12), o Ministério Público do Trabalho (MPT) determinou que a Editora Globo interrompa a distribuição e retire de circulação a edição de setembro da revista “Vogue Kids”, que exibe crianças em poses sensuais. O MPT entrou com uma ação cautelar contra a venda da publicação, que agora foi acatada pelo Juízo Auxiliar da Infância e Juventude do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). A ação corre em segredo de justiça. Para o órgão, o ensaio “Sombra e água fresca” viola o princípio de proteção integral à criança previsto pela Constituição, o que caracteriza crime


FONTE: Carta Maior
A pergunta que fica na minha cabeça é a seguinte: isso aconteceria na década de 60,70,80 ou 90? Nós sabemos que não! Mas porque que acontece hoje? Porque estamos em plana revolução cultural marxista, em que ela elege manifestações à se considerar à partir de um dado momento crime, mesmo que nunca tenha sido assim consideradas. As semelhanças entre Rússia e Brasil no tocante à moralidade não param por aí. Em breve escreverei mais à respeito.