sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A regra de três


Este instrumento habilíssimo se apresenta como a herança política de toda a elite antiga sacerdotal, aperfeiçoado pelos “iluminados” e executado em larga escala atualmente pelos sacerdotes cristãos, que consiste em um encadeamento de três processos ligados entre si e interdependentes que quando executados com maestria, e diga-se maestria no sentido de hipocrisia, dissimulação, a arte de criar realidades; alcança-se certamente o plano objetivo por um teatro, uma encenação; uma ilusão gerada para o aprisionamento dos se que buscam tragar. A regra de três é uma espécie de adaptação mais estratégica para a fórmula; tese-antítese-conclusão.

Sua fórmula consiste em: por meio de suas próprias ações e de sua própria influência, quer sejam diretas ou indiretas, criar um problema em oculto; um adversário externo, algo que mereça a atenção de todos e que impeça de algum modo o desenvolvimento do corpo social. Após a criação desta dificuldade á ser superada ou combatida, anuncia-se em público a sua existência, alastra-se o temor, o pânico; a vigilância se configura como necessária, de modo que o anseio popular se volte á uma necessidade urgente de resolução do problema existente, ou seja, o processo democrático em voga é o instrumento de controle para o fim desejado, a voz da multidão será ouvida, a própria multidão há de pedir medidas enérgicas para a resolução do conflito, e a partir dessa petição popular é que se concretiza a regra de três pondo em prática a última fase; que é a resposta imediata á demanda gerada. Porém esta resposta é dada pelo mesmo grupo que ocasionara com sua interferência o problema, de modo que o processo existe tão somente para a validação democrática do feito, parecido com o que é feito na lavagem de dinheiro dos cartéis de drogas. Pois tudo o que é efetuado no processo proposto é de igual modo validado pelo consenso social tendo em vista ter sido manipulado por quem está por trás do processo, por quem fabricou o processo.

Ora, essa fórmula está em atuação com mais intensidade no cenário cristão brasileiro há pelo menos uns dez anos; onde inevitavelmente nota-se a presença de uma força apóstata maciça, criada pela mesma elite de sacerdotes que hoje dão como solução o embrutecimento das doutrinas, o fechamento dos ouvidos á quaisquer formas diferentes de visão que ás deles próprios, e de sobre modo grandioso o aumento da idolatria á figura do sacerdote e da instituição religiosa; estes dois mostram-se como as respostas divinas para um refúgio seguro mediante ao quadro de caos, e novamente esclarecendo: criado, fomentado e no fim combatido pela mesma elite sacerdotal advinda da cúpula farisaica que tomou de fato o poder e descendem á séculos dos que perseguiram o mestre.

Madara.

Jogo promove terrorismo psicológico legitimado (CARTA MATE PELA PAZ)


Mais uma prova viva de que a construção da psicologia da nova ordem mundial está em andamento e com elevado sucesso no Brasil. Está na internet o jogo “Fuga da Vila Cruzeiro”, em que o usuário usa o mouse para matar os bandidos que correm pela mata da Vila Cruzeiro. Este jogo, que para muitos pode ser uma oportunidade de se masturbar matando bandidos, é nada mais que mais uma manifestação do fascismo declarado e ainda exaltado existente no coração da população do Rio de janeiro.

Desde pequenas as crianças do Rio de janeiro, principalmente se forem de classe média são educadas na “bela” cultura da violência transmitida com símbolos de heroísmo, não me refiro à violência marginal promovida culturalmente por traficantes, mas à que provém do Estado, estabelecendo o homicídio e a morte como valores naturais e normais, internalizados como padrões de consumo e que devem ser elogiados à todo custo.

Assassine pela paz e se acostume com isso, incentive e apóie o governo; assim diz Leviatã, potestade que governa o Brasil.

A minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá” – Jesus – João 14;27
Entre Jesus e Leviatã, eu prefiro ficar com Jesus. E você?Madara

Fonte: Jogo

O caso Césare Baptiste


O caso Césare Baptiste tem ocupado grandes espaços jornalísticos na televisão oficial, e claro, sempre divulgado com os contornos devidos dados pela mídia brasileira, fanática pela ordem e pelo progresso.

O que me chama mais atenção neste caso em especial, é que Baptiste, sempre retrato como terrorista e assassino não merece isoladamente este título, posto que qualquer insurrecionista de esquerda que resistiu à ditadura militar em seu país de origem recebeu este mesmo título. Ora, porque os ditadores não receberam este título? Porque a cúpula militar que atuava na Itália não respondeu pelos crimes cometidos em sua época? E com isso, somente os resistentes receberam o título de terroristas.

Amigos, este tratamento logicamente esconde algo, uma mensagem subliminar; o Estado teocrático de direito, a ocupação de um cargo de poder no Estado lhe absorve de quaisquer culpa por atitudes, talvez ilegais. O estado funciona como um grande perdoador de pecados, um grande filtro de absolvição de crimes, homicídios, torturas, etc. Há nas colocações que chamam baptiste de terrorista, a persistente noção de exclusividade do uso da violência por parte do aparato estatal; ou como é chamado na política: monopólio do uso da violência.

Terrorismo é terrorismo, crime é crime, e homicídio é homicídio, independentemente de quem os comente. Não importa se as mãos que atiram são de um civil comum ou de um soldado, se usa camiseta branca ou farda verde: ambos são assassinos. A diferença é que de um lado existem indivíduos atuando individual/coletivamente à favor de uma ideologia maior para o país, e de o outro, a repressão que atua cegamente na defesa de uma valor religiosamente seguido: manter a ordem. Este segundo grupo, deveria pelo que sabemos teoricamente, existir para proteger o primeiro grupo, acima de tudo e de todos, mas como são meros zumbis controlados por cima, negam sua própria finalidade de existência e seguem o que são mecanicamente instruídos.

Não sou à favor nem contra Baptiste, mas sei que o que se chama de governo legítimo é a única coisa ilegítima por natureza que existe.

Madara.

Chemtrails no Rio de janeiro



Vários desses aviões estão sendo flagrados por toda a cidade do Rio de janeiro. Em dias de sol forte, quando o céu está completamente limpo, se vê um avião voando bem alto, com seu rastro de “fumaça” deixado para trás. O mesmo rastro, com o passar de em média 1 hora se transforma em nuvem. Em duas horas o céu que antes estava totalmente azul, agora apresenta já uma boa quantidade de nuvens, à ponto de conseguir cobrir o sol forte e escaldante de verão.

No início do ano passado, antes das fortes chuvas que destruíram Cabo frio, vimos os mesmos aviões despejando rastros químicos no céu. O que novamente ocorreu este ano, antes da tragédia na região serrana do Rio. Este vídeo mostra o flagrante realizado por este eu vos escreve no exato momento em que um avião passava despejando alguma coisa no céu.
Vários outros momentos foram vistos, porém nem sempre dispomos de uma câmera para gravar. Eu mesmo já flagrei ao olhar para o céu algumas vezes quando estava saindo na rua, atravessando uma passarela, comprando pão na padaria...

Bem... não sei exatamente do que se trata, mas “sigamos o coelho branco”, é fato que esses rastros “fabricam” nuvens, que acabam por se precipitar, e dependendo das condições do dia, da quantidade de nuvens que se fabricam, não promovem uma simples chuvinha para refrescar o dia. Muito se cogita sobre o que esteja por trás da tragédia na região serrana do Rio de janeiro, se este aviões estiverem sido avistados naquela, ou em regiões próximas.
Basta saber o que pretendem eles com isso? Pesquise sobre os Chemtrails!
video

Brasil oculta prisões de terroristas

Doc. 08BRASILIA43 - Brasil oculta prisões de terroristas: O governo brasileiro disfarça a existência e a prisão de pessoas ligadas ao terrorismo, de acordo com textos enviados pelo então embaixador americano no Brasil em 2008. Segundo o documento, "o governo brasileiro é um parceiro de cooperação no combate ao terrorismo e atividades relacionados com o terrorismo no Brasil [...] No entanto, os mais altos níveis do governo brasileiro, particualarmente o Ministério das Relações Exteriores, são extremamente sensíveis a quaisquer créditos públicos de que terroristas têm presença no Brasil - seja para arrecadar fundos, organizar a logística, ou mesmo trânsito no país - e vai vigorosamente rejeitar quaisquer declarações implicando o contrário".
Segundo um telegrama secreto enviado para Washington em janeiro de 2008 pelo embaixador dos EUA Clifford Sobel, a Polícia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência ABIN monitoraram suspeitos terroristas e prenderam alguns deles, utilizando outras acusações:
"A Polícia Federal, muitas vezes, prende pessoas com ligações ao terrorismo, mas nunca usa acusações de terrorismopara evitar chamar atenção da mídia e dos altos escalões do governo. Durante o ano passado a Polícia Federal prendeu várias pessoas envolvidas em atividades suspeitas de financiamento ao terrorismo, mas os deteve sob acusações de tráfico de narcóticos e contrabando."

O governo brasileiro nega a existência de operações contra o terrorismo no país.
Diante da situação atual no Rio de Janeiro, seria esta onda de violência no Rio parte de um movimento para ganhar apoio para uma nova lei-anti-terrorismo no Brasil? Seria a onda de violência no Rio um Ataque de Falsa Bandeira?

Outro documento publicado pelo WikiLeaks traz a mais recente avaliação da política brasileira de combate ao terrorismo, de 31 de dezembro de 2009 (Cable 09BRASILIA1540). Nele, a Ministra Conselheira da Embaixada Lisa Kubiske reitera a existência de "dois discursos separados" no Brasil: enquanto o governo nega, a polícia monitora e colabora em operações de contraterrorismo. Ela cita como exemplo a prisão, em maio daquele ano, de um integrante da Al Qaeda.

A prisão foi feita pela PF em São Paulo durante uma pretensa investigação sobre células nazistas. O libanês, conhecido como "senhor K", foi preso sob acusação de racismo. Para a PF, ele coordenava uma célula de comunicação e recrutamento da Al Qaeda em São Paulo.

Fonte: WikiLeaks

A grande rebelião?


Lúcifer e o seu exercito, (cerca de 1/3 dos anjos do céu), perderam a guerra contra as forças de Deus, sendo que Lúcifer, (e os seus anjos caídos), passou desde então a habitar no nosso mundo físico, do qual é “príncipe”.

O Diabo, (Lúcifer), na mitologia Grega era visto como o rei de Hades, o deus do mundo dos mortos. Para entrar na morada de Hades, era preciso passar por um mítico cão demoníaco de três cabeças, chamado Cérbero.
De acordo com a tradição islâmica, Lúcifer revoltou-se contra Deus, não por desejar propriamente ascender ao lugar do Criador, mas antes por orgulho, ou seja, por se ter recusado a ajoelhar diante de Adão.
Assim está escrito:
De acordo com esta versão, Lucifer, (um ser perfeito, cheio da Luz de Deus e portador da sabedoria, ao qual nenhum outro ser se podia comparar ou igualar), recusa-se a ajoelhar perante uma criação que considera inferior a si mesmo. È por esse motivo, que acaba sendo expulso do céu e exilado no mundo dos mortos.
Ao contrário, Satã não foi expulso, ( como Lúcifer), mas antes desertou dos céus.
Satã era um anjo das mais altas esferas celestiais, ( um dos anjos «vigilantes», a quem estava incumbida a missão de observar e guiar a raça humana neste mundo, tal qual anjos guardiães ), que juntamente com outros anjos, (nomeadamente Azazel, um dos príncipes do Céu e também ele um «vigilante»), optou de livre vontade por abandonar o céu e instalar-se na terra, motivados que foram pela sua paixão pelas mulheres, ou como dizem as escrituras no Livro de Génesis:
Sobre este episodio, no qual um grupo de anjos abandona o céu para se instalar na terra em busca da ardência do sexo com as mulheres, assim esta escrito no I Livro de Enoch:
Assim, o I Livro de Enoch descreve como 200 anjos caíram, ou seja, abandonaram a esfera celeste e habitaram neste mundo. E assim continua o apócrifo Enochiano:
Eles, tal como os seus chefes, tomaram as mulheres para si. Escolhiam quem queriam.
Penetram-nas e desonrararm-nas. Ensinaram-lhes bruxaria, formulas magicas e como cortar raízes e ervas para usarem nos seus conjuros (….) começaram [ os anjos caídos] a revelar segredos mágicos ás suas mulheres
I Livro Enoch

E quando dissemos aos anjos: Prostrai-vos diante de Adão, eles prostraram-se, exceto Lúcifer, que se recusou e, cheio de orgulho, se juntou aos ímpios
[Iblis] ,
Alcorão II.34

Deus perguntou: ”que te impede que te prostres quando te mando?” Respondeu:”Eu sou melhor do que ele. Criaste-me do fogo e a ele criaste do barro”. Deus disse: ”Desce do paraíso, pois não é próprio que te enchas de orgulho nele”. Sai! Tu estas entre os desprezados
Alcorão VII 11.18



“as filhas dos homens”.


Naquele tempo, enquanto os filhos dos homens se multiplicavam, nasciam-lhes belas filhas. Os vigilantes – anjos filhos dos céus – ficaram atraídos por ela e desejaram-nas. Disseram uns aos outros: «Vamos procurar as filhas dos homens, e gerar filhos para nos próprios».
I Livro Enoch

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Militarismo e maçonaria: tudo à ver



Qual era o verdadeiro significado do dízimo na lei?

O verdadeiro significado do dízimo sempre foi ensinar aos israelitas o que o próprio messias ensinou com os seus discursos: amar ao próximo como se ama á si mesmo!

Mas a elite religiosa de Israel nunca entendeu o verdadeiro significado do dízimo, e sempre transmitiram ao povo o conceito deturpado sobre o que seria a essência do dízimo, eles pensavam que ele era para ser obedecido cegamente por um mero capricho de Deus, ao ter ordenado ao povo que retirassem 10% de suas colheitas e entregassem aos sacerdotes. Por isso cumpriam tudo certinho e ao pé da letra, imaginando que a obediência aos mandamentos de Deus estava em simplesmente tirar da sua fazenda uma parte e entregar á alguém que era consagrado por Deus para isso. Eles entendiam o dízimo como um fim em si mesmo. Errado, e para que isso fosse corrigido, foi necessário esperar a vinda do messias para que ele explicasse tudo de novo, e disse ele ao povo: (Mateus 23:23) – “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé; deverias, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”.

Este é o sentido real do dízimo! E por que? Ora, foi exatamente para isso que ele foi criado, além de servir para a manutenção da tribo sacerdotal de Levi. Leiamos Deuteronômios 14;29: “Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o SENHOR teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem”.

Deus queria ensinar ao povo á amar pessoas que estavam em situação social inferior daqueles que dizimavam, pessoas que não tinha condições de se sustentarem como órfãos e viúvas (Israel era uma nação guerreira, participante em muitas guerras, tendo por isso bastante órfãos e viúvas) e também o estrangeiro (figura simbólica para que eles se lembrassem de que eles próprios já haviam sido estrangeiros em outras terras enquanto eram cativos no Egito e na babilônia). Amor, este era o real significado do dízimo, entretanto os religiosos o transformaram em um ato religioso, em uma espécie de sacrifício, de culto, de algo que deve ser feito “em adoração á Deus”, como forma de louvor, e não algo que tem reais significados para as pessoas que eram beneficiadas.

MATEUS 23;23: JESUS RE-EXPLICA O DÍZIMO

Em Mateus 23;23, Jesus claramente não toca na questão do dízimo de modo á doutrinar seus discípulos ou até mesmo a multidão á serem “dizimistas fies”, ele direciona seu discurso em forma de crítica á classe dos fariseus, que eram autoridades espirituais do judaísmo, ou seja; da antiga aliança, á qual o próprio Jesus ainda estava de baixo (a nova aliança se inicia com a morte, e posteriormente com a ressurreição de Jesus!). Estes, praticavam o dízimo como um mandamento em si mesmo, e não pelo significado essencial contido nele, e com isso o mestre mais uma vez, de forma áspera os repreende.

MALAQUIAS 3; 5

Por este motivo, vemos de forma justíssima a ira de Deus para com os sacerdotes no texto mais explorado pelos carniceiros defensores da prática do dízimo; pela boca do profeta Malaquias, Deus exorta duramente a classe dos líderes por estarem roubando os dízimos, ou melhor; desviando os dízimos que eram entregues aos sacerdotes e que serviam para o fim que mencionei anteriormente. Ora, o que estava acontecendo pelo fato dos sacerdotes estarem “roubando” os dízimos? Simplesmente os contemplados com a ação tributária estavam sendo desassistidos pela safadeza sacerdotal: viúvas passando necessidades, órfãos sem ter o que comer, e estrangeiros que tinham o direito de recolher a sua parte também não conseguiam nada quando buscavam. Como você acha que Deus se sentia vendo esta situação?

E me aproximarei de vós para julgar, e serei testemunha veloz contra os feiticeiros, contra os adúlteros, contra aqueles que juram mentindo, contra aqueles que roubam o salário do trabalhador, da viúva e do órfão, e o direito do estrangeiro, e tendo por mim nenhum temor” Malaquias 3; 5.

Este era o verdadeiro sentido do dízimo, ensinar ao povo de Israel à amarem o seu próximo como eles se amam. Mas a classe de líderes sacerdotais desviaram essa noção transformaram em obrigações cegas que deviam ser obedecidas à risca. E não somente isso, mas também furtavam os dízimos que já eram entregues para benefício próprio, lembrando que o dízimo à que se refere os textos não é dinheiro, mas alimentos!

Querido leitor, não aceite que nenhum bandido de terno e gravata te convença do que não está escrito nos textos, adulterando o conteúdo original por causa da ganância e da avareza de ter cravado nas mentes alheias a obrigação de dar 10% de suas rendas à uma instituição religiosa. Você é livre porque Jesus te libertou da maldição da lei, se você quer viver na liberdade que ele conquistou pra você ou prefere estar de baixo do julgo de escravidão da lei mosaica, aí é com você; nossa parte esta feita em alertar e denunciar o engano.


“M”.


quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

IGREJA BANDIDA


Mais uma manifestação de que pastores são políticos religiosos, que obedecem tão somente á regra da finalidade estabelecida por Nicolau Maquiavel: os fins justificam os meios.


Outrora, na igreja primitiva, vitoriosa, que preservou ás custas de muito sangue e de suas próprias vidas o evangelho pregado por Jesus, o porte de armas era visto como algo imundo, totalmente reprovado, ilegal para um seguidor de Jesus. Entretanto, já no século três, a igreja estava completamente tomada de parasitas que carregavam o título de Cristãos e que, contrariando a tradição dos pais da igreja, ingressavam aos montes no exército romano. Indivíduos que mancharam o nome de Jesus e o expuseram ao mundo de forma blasfêmica, transparecendo que aquele que ensinou “ama teu inimigo” e “não recompense o mal com o mal”, mudou de idéia e resolveu apoiar seus supostos seguidores á servirem como assassinos, capachos de um governo oculto que apenas os controla, fazendo com se sintam orgulhosos em dar suas vidas num campo de batalha.


Mas .... Nosso tempo é outro, é o tempo da igreja bandida, da igreja militarizada, e quando digo militarizada não falo metaforicamente, falo literalmente. Pois assim agiu o ex-pastor da Assembléia de Deus de são José dos campos, Antônio Sellare, que acompanhado de homens armados invadiu a antiga igreja para “tomar o poder” e destituir o antigo ditador, o pastor Samuel Câmara. Nessa empreitada “revolucionária”, Antônio Sellare teve de se armar sozinho e contratar capangas á fazer a sua tal revolução e fincar a bandeira no topo da montanha. Entretanto, nada de revolucionário tem essa história que é real, pois o que está por trás do ocorrido é na verdade a raiz de todos os males: o dinheiro (a igreja tem um patrimônio avaliado em 30 milhões de reais, com cerca de 10 mil membros).

Existe uma verdade cristalina e que a hipocrisia não permite que seja dita: templo é dinheiro! Templo é lucro! Ainda mais na referida denominação. Aquilo que maldosamente se chama de “a casa de Deus” é nada mais que uma “boca de fumo” que comercializa drogas teológicas, que aumenta à cada dia mais o número de viciados criando assim uma verdadeira multidão de escravos, de soldados suicidas que estão prontos para darem suas vidas á qualquer momento, mas não para Jesus e pelo seu evangelho, pois estes vêem ele sendo xingado e blasfemado todos os dias por meio destas bocas de fumo com nome de igreja e de seus chefões nomeados com um nome mais bonito: pastores. Estes suicidas, dão suas próprias vidas á defender seus chefes sacerdotais, responsáveis pelo grande lucro que promovem através do crack (teologia da prosperidade) e da cocaína (dízimo).


Este caso me pareceu bastante comum, principalmente para quem conhece a realidade carioca. Pois a igreja se dividiu em duas facções, uma apoiando o atual pastor e a outra apoiando o antigo. De modo que por meio de uma investida surpresa, Antônio Sellare tentou tomar o controle do ponto principal de venda de drogas teológicas (a igreja matriz), o que ele não contou é que haveria resistência dos consumidores que estavam no templo e resolveram reagir á invasão.


Mas é claro que esse câncer de igreja que apóia, se utiliza e aderi o militarismo como “algo de Deus” não é exclusividade do pastor Antônio Sellare, vejam só quem é um dos que mais adoram um fuzil:

Igreja bandida não é só aquela que apóia traficante em favela, como acontece bastante, mas é aquela que apóia as armas carnais como um todo (armas físicas: pistola, fuzil, metralhadora...) e se torna inimiga de Jesus, contrapondo-se ao que ele ensinou e viveu. Não importa em que mãos estejam as armas, o único produto delas é a morte, sendo a igreja evangélica a maior defensora do ministério da morte no planeta terra.


II Coríntios 10:4 - “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim espirituais e poderosas em Deus para destruição das fortalezas”



Mr. Madara.

Veja a matéria completa: Jornal Bom dia Rio preto