sábado, 26 de fevereiro de 2011

IGREJA BANDIDA 2

“... E com ouvistes que o anticristo está vindo, também agora muitos anticristos tem surgido”. 1 João 2;18

Existe um ditado popular que diz: Nada é tão ruim que não pode ser piorado! E esta é de fato uma verdade, principalmente se tratando da igreja evangélica brasileira. Após tantas surpresas de quanto os líderes evangélicos são capazes de chegar para profanar o nome de Jesus com a sua apostasia, vemos agora mais uma manifestação diabólica do espírito do anticristo em solo brasileiro, o BOPE, esquadrão de elite da polícia militar carioca tem uma ala de evangélicos, os chamados de “caveiras de Cristo”.

O absurdo toma proporções inimagináveis: este é símbolo dos “caveiras de Cristo”.

JESUS: O ODIADO DAS NAÇÕES

Agora eu realmente percebo como realmente Jesus é o homem mais odiado de todos os tempos. Esse homem realmente trouxe escândalo e loucura para o mundo, ele realmente despertou e ainda desperta ódio por onde passa, e a prova viva disso é a igreja (seja ela católica ou protestante), pois o que estes indivíduos fazem com o nome de Jesus não está em nenhum Gibi!

Realmente é bem difícil para mim, mesmo estudando e continuando à buscar conhecimento, entender o que se passa na cabeça de um indivíduo que se diz seguidor de Jesus para adentrar numa corporação de pessoas completamente disfuncionais em comparação com o restante da população, pessoas que pensam em morte o dia e a noite, que treinam obstinadamente para não erra o alvo, que possuem em seu ideário valores de exaltação da morte, da caveira, da tortura, em outras palavras; da bandidagem legalizada e legitimada pelo Estado.

O BOPE é, segundo pessoas amigas minhas que possuem amigos lá, um ambiente onde impera literalmente a cultura da morte. Um amigo meu que é da Aeronáutica contou-me que nas horas vagas os soldados mostram uns para os outros, fotografias daqueles que eles mataram em alguma operação realizada, coisas do tipo: Olha só esse cara aqui eu matei semana passada, foi no morro tal... Olha esse outro, nesse dia eu matei dois... (Lembrando ou informando para quem não sabe, que as operações do BOPE são sempre oficialmente registradas em vídeos por seus próprios soldados, quer seja com vídeo ou foto), vídeos e fotos de corpos mutilados e perfurados de balas que acabam por se tornarem recreação e lazer para os soldados “guerreiros” gozarem, engrandecendo-se uns com os outros.

O que é um anti-cristo? Existe diferença entre O anticristo, e o surgimento de muitos anticristos. João utiliza o pronome indefinido para se referir que nos últimos dias, antes da aparição do anticristo, aparecerão muitos anticristos, ou seja; muitas manifestações de contrariedade ao espírito que Jesus Cristo trouxe à terra por meio de sua mensagem. Este é o exato caso que essa postagem trata.

Há tempos atrás em mesmo brincava com meus amigos dizendo sobre a apostasia da igreja, que se a coisa continuasse do jeito que estava, logo iríamos ver uma igreja de homossexuais aparecendo por ai. Hoje isto é mais do que realidade e não mais escandaliza ninguém. Ou seja, uma coisa tão absurdamente contrária à Jesus aparece carregando o nome dele como marketing. Este processo de profanação extrema ocorre também agora, com este caso específico que trato: este é o nível máximo da cegueira espiritual, da profanação do sangue da aliança feita por Cristo e por sua mensagem. Aonde homens pagos, muito bem treinados, equipados e psicologicamente projetados para matar, se orgulham em estamparem o símbolo de morte em seus ombros: uma caveira com uma faca transpassada. Ora, os símbolos são representações materiais de significados e coisas imateriais. Que sentimentos transmite um grupo com um símbolo como o do BOPE? Trevas, morte, terror; porque alguém juntaria estes significados com a pessoa de Jesus? Que intenções há por de trás disso?

As muitas frases de Jesus sobre não violência contidas na bíblia, obviamente, não são lidas no culto. O importante é fazer adoração barata para ver se consegue a salvação, e não seguir o que Jesus mandou”.

ORAÇÃO ANTES DA MATANÇA

Como de costume, antes de subirem um morro, ou de iniciarem uma operação, os caveiras de Cristo fazem suas orações coletivas, pedem proteção ao deus da morte e bastante calma para que não errem o alvo. O deus da morte à que me refiro, é apelidado por eles com um nome bastante conhecido por nós; eles o chamam de Jesus.

Encontrei na internet frases que irão explicitar bem a patologia apresentada por esse grupo, vamos ver algumas delas:

Fonte: ExibirGospel (pesquise : Caveiras de Cristo)

Na vida real, um grupo de militares do batalhão escreve uma nova história. Os Caveiras de Cristo lutam, armados pelo Evangelho. Armados pelo evangelho? Isso é anti-cristo:

Porque as armas da nossa milícia não são materiais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas”. (II Coríntios 10; 4).

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. (Efésios 6; 12).

(João 18; 36), “Respondeu Jesus: o meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui”. Jesus está dizendo à Pilatos que se o reino dele fosse deste mundo, os seus seguidores iriam guerrear por ele, ou seja; ele teria um exército, como é o BOPE, e os seus seguidores lutariam armados pelo evangelho, mas.... O seu reino não é deste mundo, logo... Isto se torna contrário è ele.

Se, hoje, as comunidades visitadas pela Tropa de Louvor se acostumaram com a presença dos policiais, no início as coisas eram diferentes. Levou tempo para o grupo se desvincular daquela imagem de uma polícia matadora. No Pavão-Pavãozinho, a primeira comunidade que recebeu o culto dos Caveiras, no ano passado, apenas 20 pessoas apareceram. A pouca quantidade de público se repetiu ao longo dos três cultos seguintes. Num primeiro momento, a população não acreditou no propósito daqueles homens. Mas, pouco a pouco, a Tropa de Louvor foi conquistando o seu espaço.

De origem interdenominacional, os cultos promovem a interação com os moradores da favela, por meio de muito louvor, libertação e testemunhos. No último culto, realizado no dia 24 de julho na comunidade do Andaraí, 300 pessoas prestigiaram a exibição. Os cultos-shows fazem tanto sucesso que a Tropa já está preparando o lançamento do seu primeiro CD. O trabalho já está finalizado e a previsão é que seja lançado no dia 18 de setembro no Sesi de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro”.

Aqui fica claro o objetivo desta profanação extrema: a política de segurança pública do RJ adotou as conhecidas UPPs como projeto fixo para as comunidades carentes, entretanto todo especialista ou estrategista militar sabe que “ganhar” um terreno não basta dominá-lo bélico/geograficamente, pois o mais importante depois da tomada do território é a conquista da população que ali reside. Era por este motivo que os Persas na antiguidade, logo depois de conquistarem um território não agrediam ou destruíam a cultura do povo dominado, pelo contrário, estimulavam-nos à todas as atividades culturais nativas para que pudessem ganhar confiança daquele povo e conquistá-los pela afetividade. Assim também age o BOPE no Rio de Janeiro, pois lá dentro dos escritórios de ar condicionado da secretaria de segurança todos os planos são traçados. Lá foram feitas reuniões e mais reuniões de como se conseguiriam conquistar a população das favelas, de como conseguiriam abafar manifestações contrárias evitando-as antes de ocorrerem, e qual foi o ponte mais forte para o controle da mente alienada dos moradores? A religião. Os comandantes e estrategistas sabem que a proporção de evangélicos nas favelas é altíssima, e por isso mesmo este tipo de abordagem foi escolhida e incentivada pelo BOPE para poder, como eles mesmos dizem: ganhar os corações dos pobres. O próprio texto do site explica o caso, ele fala que essa é a estratégia de interação com os moradores da favela, por meio de muita música, testemunhos e “libertação”. Aos poucos, todos os moradores estão sendo dominados com uma ideologia extremamente maligna, a do Estado teocrático, tenho certeza que nestes “cultos” do BOPE, é dito milhares que o Estado é o bem, e o mal é todo aquele que contraria à ele. “O bem”, é uma categoria religiosa, de fundo metafísico, equivale dizer que o Estado é Deus, e quem se contrapõem à ele está em rebeldia à Deus! Por este mesmo motivo é que eles se acham autoridades instituídas por Deus. A população das favelas está nesse exato momento sendo bombardeada com esta mensagem diabólica e subliminar, que tem como único objetivo preparar o caminho para a implantação da nova ordem mundial no Brasil, com um Estado divinizado, absolutista e que criminaliza todo “rebelde”. Isto é mais uma estratégia de controle de massas; em que a população alienada, burrificada, não enxerga e acaba caindo no canto de sereia.

Se queres a paz, prepara-te para a guerra”. Inscrição encontrada nas camisetas do BOPE nos momentos de culto. Esta é uma frase bonita e até politicamente correta, mas quem à pronunciou? Jesus? Jesus nunca ensinou isso. São com estas frases de efeito que esses homens conseguem conquistar a mente e os corações dos alienados, mas vou lhe dizer o que Jesus ensinou: (Apocalipse 21:8), “Mas quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos assassinos... A sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte”. No texto acima, Jesus não dá nenhuma exceção para o critério de assassinato, ou homicídio, como faz o Estado para manter-se de pé. Ele apenas estabeleceu uma norma punitiva para os homicídios, e esta que está no texto. Jesus também ensinou: (Mateus 5; 38,39) “Ouvistes que foi dito: olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra”. Não creio Jesus estivesse de sacanagem quando ensinou isto, ou tivesse dito isto de brincadeira! O que foi dito, e que constava no código arcaico da antiga aliança é: atirou em mim, eu atiro nele! Com isso eu pergunto: isto de dar a outra face quando alguém atirar em você pode ser praticado por um soldado? Responda para si mesmo.

Jesus também ensinou algo escandaloso, ridículo para a cultura militar e para o BOPE: (Mateus 5:44), “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem”. Ainda que o BOPE fale de amor, fale de PAZ, as palavras são apenas palavras, elas não exprimem o que as atitudes mostram. A maior expressão de amor de um soldado do BOPE é uma bala na nuca do meliante do Estado.

OS NOVOS TEMPLÁRIOS?

Esta abordagem do militarismo unido ao nome Jesus já nos é bem conhecida, ela apenas se repete; na idade media o cristianismo pagão chamado de catolicismo criou para si sua própria milícia chamada de Cavaleiros templários, ou: soldados de Cristo. Os lemas que os militares cristãos explicitam são totalmente inspirados nos que os cavaleiros templários usavam, coisas do tipo: Ao cavaleiro é dada a espada, que é feita á semelhança da cruz, para significar que assim nosso Senhor Jesus Cristo... Por isso a espada do cavaleiro significa que o cavaleiro com a espada mantém a cavalaria e a justiça (Trecho do livro Ordem de cavalaria escrito por Raimundo Lúlio entre 1279 e 1283).

Assim como os templários cultuavam Bafomet, o deus com aparência sombria e sinistra, o BOPE cultua o mesmo Bafomet, mas de uma forma personalizada: qual seria as semelhanças entre o Bafomet dos satanistas para a caveira do BOPE?





O mesmo satanismo com o nome de Jesus antes manifestado pelos Templários e agora pelo BOPE, no Brasil. Este é o espírito do Anticristo, que tentar de todas as formas colocar ao lado do nome de Jesus atitudes, pensamentos e idéias contrárias à ele.

Continua...

Madara.