quarta-feira, 26 de outubro de 2011

2013 segundo Daniel Mastral

Portais Dimensionais Permanentes:

“São 90 as Janelas Permanentes, e a grande maioria delas já está aberta, isso veio acontecendo desde a Antigüidade, como sabemos. Há cerca de 10 a 12 anos, 72 destas Janelas estavam abertas.

Para abrir as últimas, era necessário esperar o tempo certo. Por que o tempo certo? Porque para abri-las, é necessário uma série complexa de condições que não acontecem sempre; não apenas condições de conhecimento ritualístico (que é progressivo, como sabemos), mas também conhecimentos e condições astrológicas e astronômicas. Não podemos ir além nos detalhes porque eram conhecimentos destinados apenas aos Sumos Sacerdotes. Mas como Deus é o Único Senhor do Universo, Ele detém a ocorrência destes fenômenos, de forma que a abertura das últimas Janelas ficou realmente reservada para o Final dos Tempos não porque o Diabo assim preferiu, mas porque Deus determinou. Essa minoria de Janelas libertará Demônios cada vez mais Poderosos das profundezas do Abismo. Em 2006, mais 9 serão abertas, e as últimas 9, em 2013.

No entanto, lembremos que a abertura de uma Janela Permanente pressupõe não somente a entrada dos Demônios na Terra, mas recordam-se que dissemos que era possível que seres humanos as atravessassem também? Isso é considerada uma honra muito especial, concedida a poucos escolhidos, e a passagem tem objetivo de gerar filhos de Entidades Poderosas de uma maneira diferente, num outro Mundo, guiado por outras Leis. Claro, tem de passar o homem e a mulher, pois a relação será mediante Súcubus e Íncubus. Uma honra como essas é algo muito, muito especial dentro da Irmandade, concedida a poucos. Sumos Sacerdotes em geral”.

Daniel Mastral. Rastros do oculto, pag. 256.


21 de Dezembro de 2012 – O alinhamento cósmico dá início à abertura das últimas 9 janelas dimensionais, culminando com alguma data especial em 2013 para a última janela ser aberta e o primeiro demônio ser manifesto “fisicamente” na nossa dimensão. Mediante esta abertura definitiva do plano metafísico com a dimensão terrestre, o mestre Jesus retorna para “interferir” na festa que os demônios irão fazer, subtraindo do planeta terra os seus escolhidos, dando início à um processo de caos generalizado no planeta terra. Depois ele mesmo retorna na companhia dos escolhidos para a batalha final.

Coincidência de datas? Conspiração extrema? Alucinação da minha mente? É pagar pra ver...

GUERRAS ÁRABES-ISRELENSES: Os "DEUSES" ditaram as normas há 40 mil anos...

Origens dos conflitos no oriente médio

(As guerras dos “Deuses” há milênios !)

Conforme está descrito no relato “Enuma Elish...” – (“Quando nas alturas...”) –Epopéia Suméria gravada em tabuinhas de barro com escrita cuneiforme encontradas no palácio de Assurbanipal em Nínive (Mesopotâmia) hoje sob a guarda do Museu de Londres e relata a saga dos “Deuses” Anunnaki antes da sua chegada à Terra e, sobretudo, a incursão do seu planeta “Nibirú” adentrando o Sistema Solar e desestabilizando os planetas, inclusive a própria Terra., o grande Anu, plenipotenciário do planeta Nibirú enviou à Terra uma grande equipe, integrada também por seus dois filhos Enki e Enlil, destinada à procura de elementos minerais nobres.

Nessa época a humanidade atual ainda não existia e os antropóides de então viviam sem nenhuma noção de sociedade. Eram bandos sem qualquer organização que subsistiam da cata de alimentos. Assim, a Terra ainda não tinha dono !

Segundo seus costumes, por razões de ordem biológica, a sucessão real no planeta dos “Deuses” dar-se-ia somente com o fruto da união entre um casal de meio-irmãos (seria preciso que Enki ou Enlil se unisse a uma meia-irmã (filha do mesmo pai com mães diferentes). Identificados pelos antigos Sumérios como os “Deuses” Anunnaki (os Nefilim citados na Bíblia Sagrada), esses “senhores” dividiram a Terra em 4 regiões destinando o continente africano a Enki, o atual Oriente Médio a Enlil, a Península Arábica à “Deusa” Ninharzag e o Sudeste Asiático a Inana-Ishtar.

Nomeando a África do Sul como Abzu, Enki alí instalou seus laboratórios de experiências genéticas. Aproximando-se de sua meio-irmã Dankina (que possuía grandes conhecimentos da sua medicina), Enki a ela se uniu fazendo desvanecer assim a intenção de Enlil em desposá-la. Servindo-se então dos humanos recém-criados, como escravos e asseclas, os “Deuses”-Irmãos Enki e Enlil entraram em desavenças cada vez mais desastrosas para todos. (Necessitando de trabalhadores escravos, os “Deuses” Anunnaki inseminaram artificialmente uma “mulher-macaco” então vivente. Com isso provocaram artificialmente um “salto” na evolução humana criando um ser que tivesse entendimento suficiente para obedecer ordens, manusear ferramentas simples, etc. : um escravo (nós !). Sendo inicialmente híbridos, os “adamus” assim criados puderam procriar-se após uma segunda intervenção genética e multiplicar-se, sendo “propriedade” de um ou de outro “Deus”, formando-se assim os clãs de Enki, Enlil, Inana-Ishtar, e outros !

Uma das mais sérias teria sido quando o “Deus” IAVEH (Clã Enki) invadiu os domínios do “Deus” BAAL (Clã Enlil) para dominar a região identificada como CRISTA DO ZAFON onde se encontrava as instalações do seu espaçoporto, hoje identificada como Baalbek, o chamado “Refúgio dos Deuses” (localizado nas montanhas do Anti-Líbano, perto de onde existiam as forestas de cedro.

Uma das provocações de Enki a Enlil da qual temos notícias foi a ação de IAVEH (identificado por sumeriólogos como um dos sicários de Enki, ou ele próprio) proporcionando a saída dos hebreus do Egito tendo como objetivo leva-los a invadir as terras dos enlilitas (Enlil). Essas terras tinham sido previamente destinadas pelo grande “Deus ANNU” ao clã de Enlil na famosa “divisão do mundo em 4 regiões” anteriormente efetuada. Assim, como consta dos textos sagrados do Antigo Testamento, Deus (leia-se ENKI) não deu aos hebreus a “Terra Prometida” ! Esse “Deus” disse a Moisés : “Esta é a Terra Prometida ! Mas vocês terão que lutar para conquistá-la ! “

Estas são algumas das guerras realizadas entre os Clãs de Enki e Enlil : Guerras das Pirâmides = Marduk x Horus (vencedor – Clã ENKI), Guerra da Crista do Zafon = Baal x Iavéh (vencedor - Clã ENKI), Guerra dos “Deuses” Antigos = Kumarbi x Teshub (vencedor – Clã ENLIL), Guerra do Atra-Hasis = Zu x Ninurta (vencedor – Clã ENLIL) e Guerra de ER.RA = Inana-Ishtar x Todos os “Deuses” (Marduk vencedor – Clã ENLIL)

E a luta de conquista continua até os nossos dias ! De um lado os descendentes do clã de ENKI : Os Judeus, e do outro lado os descendentes dos seguidores de seu irmão Enlil : Os Árabes ! Não tivessem os grandes “Deuses”Anunnaki desaparecido no conflito máximo provocado pela “Deusa” Inana-Ishtar, os Hebreus acabariam por serem rechaçados pelos enlilitas e iriam habitar outro local , e hoje não existiria o Estado de Israel. Assim, os árabes (descendentes de Enlil) teriam vencido no nascedouro as batalhas contra os descendentes de Enki : os Judeus ! E os dois povos iriam brigar em outro lugar...

Fonte: AtahTiamat.com