quarta-feira, 25 de abril de 2012

Análise: PL 2126-11. O "Sopa brasileiro". A censura e o controle da internet vem aí!


O calendário Maia é na verdade Tolteca!

video

Estou postando este vídeo pois o achei muito interessante, gostaria que os leitores do blog o assistissem e comentassem sobre o que acharam. O Homem que aparece discursa sobre o calendário Maia, que na verdade não é Maia, seria Tolteca, de uma cultura anterior à cultura Maia, mas que foi deixado como legado à civilização Maia.

Breve história da religião


1Anunnaki – Darwin estava errado! (?)


Em 2006, um diretor desconhecido norte-americano / produtor Jon Gress , começou a filmar o que deveria ser o filme mais polêmico do século.

A trilogia sobre a permanência Anunnaki na Terra. Desde a chegada 450.000 anos atrás, o pré / pós impérios de inundação , a saída e um provável retorno em meados de 2012.
Um filme muito preciso e independente, baseada nos livros de Zecharia Sitchin que deveria ter sido lançado em 2007 , 2008 e 2009.

O site oficial do filme era desconcertante e havia fotos da pré-produção. Mas algo aconteceu . Foi encerrado , bem como qualquer link relacionado com o seu único filme.
Todas as imagens , vídeos e informações foram banidos da internet. O filme nunca foi lançado e as faixas de sua existência foram apagadas da mídia.

É obvio que essa produção não seria somente mais um filme de ficção científica, talvez derrubasse as manipulações, mentiras e distorções sobre a verdadeira origem da raça humana.
Muitos com certeza despertariam para outra realidade ou pelo menos ficariam com uma baita pulga atrás da orelha, incomodando e quem sabe fazendo o povo dorminhoco sair a procura de respostas.

Fóruns de discussão da época do filme: http://movies.groups.yahoo.com/group/1ANUNNAKI/

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Silas Malafaia e mais uma investida rumo à tomada do poder

Mais uma vez a besta profana evangélica, Silas Malafaia, entra em ação. Em seu programa de sábado, o referido pastor discutiu, xingou, ameaçou e esperneou sobre o tema: Homofobia ou perseguição religiosa?
Interessante notar no vídeo, que Silas em um dado momento acusa um líder homossexual de xingá-lo, pois o mesmo havia utilizado em uma acusação feita no senado o termo Obscuro, dizendo: O obscuro pastor, porém um minuto depois Silas agride verbalmente o mesmo indivíduo.
Silas Malafaia incita o ódio sim, não necessariamente pelas suas palavras faladas, mas principalmente pela forma como são faladas. O ódio, o ressentimento, a ira, a energia raivosa proveniente da fala do pastor caído (pastor caído é uma redundância, ser pastor já é sinônimo de estar caído na fé) dão o tom de uma pessoa rancorosa e agressiva, que em nada lembra o carpinteiro de Nazaré: Sedes mansos e humildes de coração...

Recomendo que vejam este vídeo em que Caio Fábio comenta esta “Guerra santa” iniciada pelos Teocratas como Silas Malafaia.


Engenharia comportamental
O maior objetivo dos Teocratas é retroceder a consciência do povo da Graça para a Lei. Na Graça somos ensinados à não devolver uma agressão (Não resistir ao mal...), mas na Lei nosso caráter de Homem natural age de outra forma (Olho por olho e dente por dente), chamando isso de Legítima Defesa. Aos poucos, Silas vai moldando a consciência do gado que o assiste e o e o apóia. Retrocedendo para a condição de Homens normais, ao agirmos como o mundo age. No vídeo: Silas promete entrar com uma procuração contra um procurador federal por acusá-lo de incitar a violência em seu programa. Enquanto isso, o gado alienado está do outro lado da TV gritando: “É isso ai! Vai lá Silas, mete o pau neles, acaba com eles, processa, bota na cadeia, cala a boca deles...”. Mal sabem que estão sendo alvo de uma maciça investida psicológica que visa transformar o comportamento social até agora vigente entre os ditos cristãos.

Os que já saíram da Matrix sabem do que eu estou falando, e percebem o grande condicionamento mental em que os evangélicos estão sendo submetidos. Saia da igreja evangélica! Seja um discípulo de Jesus, antes que seja tarde demais.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Constantino ainda vive: igreja, um aparelho ideológico do Estado

“A religião é um pouco verdadeira para os pobres, falsa para os sábios, e útil para os governantes”
Sêneca (Filósofo – 400 a.C)

Passada sexta feira “santa”, verificamos no acompanhamento do telejornais o quanto é benéfico para o Estado fomentar ou reforçar no povo as crendices, fortalecendo o senso religioso contido nos indivíduos. A religião é um instrumento de governança, na verdade o melhor! O estudiosos de filosofia política o sabem muito bem, ao lermos Nicolau Maquiavel, em sua principal obra, O príncipe, podemos entender o trato psicológico incorporado por todo governante em sua arte de governar: “Se for necessário que um príncipe torne-se cristão para que mantenha seu governo, que assim o faça, pois o príncipe tem a função de manter o Estado à todo custo”.

No caso de Estados teocráticos indiretos, como o Brasil, aonde os valores da religião interferem diretamente nas direções tomadas pelo Estado, os governantes possuem como obrigação a manutenção das religiosidades vigentes, colocando-as à seu lado na hora de governar. Visto isso, o que não poderia faltar em semana de Páscoa são as encenações da conhecida “Paixão de Cristo”, espalhadas por todas as partes da cidade. Porém a mais bela e engenhosa forma de controle militar implantada nos últimos tempos, as UPPS. Em favelas invadidas pelas forças militares do Estado, repletas de igrejas evangélicas e católicas, o que não faltou nessa páscoa foi o apoio Estatal na realização de mais este circo (religioso) para entreter os pobres e cegá-los mais do que já são, fazendo com que não enxerguem por de trás da Matrix.

Louis Althusser, escreveu um livro chamado: Aparelhos ideológicos do Estado, aonde ele como sociólogo, enumera uma lista de instituições da era moderna que foram transformadas em Agentes reprodutores da ideologia dominante, dentre eles estão: a família, a igreja, a escola e a mídia. Contudo, Althusser viveu e escreveu no século XX, enquanto que nós temos um exemplo magistral de quem no século III já operava com esta lógica de controle e em seu reinado como imperador romano teve total sucesso nesta empreitada controle:

“O processo de dominação iniciado por Constantino, que tinha como objetivo implantar o novo modelo, teve de adaptar o credo cristão, de modo à sepultar de vez o niilismo da Igreja primitiva e instalar um novo modelo à partir daí”.

A autópsia da igreja (pag. 37)

Hoje vemos os pobres moradores de comunidades carentes do Rio de Janeiro felizes por participarem de uma encenação aonde revivem uma história que nos conta a história de um simples carpinteiro idealista, perseguido pela religião e morto pelo Estado (romano), demonstrando a íntima aliança entre as lideranças religiosas de Israel e o poder armado que os dominava:

“Jesus profanou o Judaísmo, entendido tanto como poder político tribal, “Estatal”, quanto poder político religioso. Ele controlava o poder secular, Roma era com ele (Atos 12; 1-3), Roma era obediente á ele. Roma, como poder secular condenou á Jesus como criminoso; Jesus, o fora da lei, das duas leis; no fundo Jesus aborrece tanto á Roma quanto ao Judaísmo, tanto ao Estado quanto á religião: esta é a imagem da figura mais enigmática de toda a História; um subversivo, um delinquente; um perigoso. Não se posiciona nem ao lado de um, nem de outro. Somente reconheço o evangelho quando este o é subversivo e perigoso ao Estado e á religião!”

A autópsia da igreja (Pag. 63)

Qual a verdadeira Paixão de Cristo?

A verdadeira paixão de Cristo é aquela que diga verdade: que mostre um Jesus sendo denunciado no disque denúncia por pastores ou padres (líderes religiosos), e preso, torturado e morto por soldados do Estado (polícia militar, polícia civil...). Qualquer coisa diferente disto é mera manipulação para que as pessoas não tenham uma imagem clara do que realmente aconteceu. Tanto a religião como o Estado, ou seja; instituições do mundo, declaram seu ódio e inimizade ao filho de Deus; simbolizando sua rejeição à religação feita por ele através da pregação do reino de Deus. O ódio que um sacerdote tinham de Jesus e de sua mensagem, juntamente com o prazer que o soldado tinham em torturá-lo, dão testemunho público que o sistema humano é contrário ao salvador, o rejeita, e ainda o mata. Postura semelhante à de Lúcifer, de Nirode e de Babel.

“É somente reconhecido por nós o evangelho legítimo quando este o é subversivo! Aquele carpinteiro de Nazaré deve ser resgatado como foi em vida, e principalmente em morte; como um criminoso, procurado vivo ou morto. A sua classificação pública é a do desviante. Fariseus e Saduceus, a classe de sábios judaicos predeterminados ao domínio, odiaram Jesus com um ódio acima do normal, e não só as palavras por ele proferidas, mas a sua própria presença gerava essa antipatia”.

A autópsia da igreja (Pag. 63)

E como ocorre os desvios de conduta?

“Mas aos poucos, historicamente muitos deixam de ser perigosos ao Estado e á religião, acostumam-se aos elogios, são de maneira sutil cooptados, tanto pelo Estado quanto pela religião. O sentimento de segurança gerado pela religiosidade em alguns é por demais irresistível, enquanto que a inquietação típica de um discípulo de Jesus á estes não convém muito”.

A autópsia da igreja (Pag. 64)

“De semelhante modo, as vantagens adquiridas pelo aliançamento com o Estado também são de alto nível seduzíveis para aqueles cuja feição moral sempre lhes internalizaram uma ambição sem limites; um assento na cadeira dos ricos, o usufruto de quaisquer meios para se alcançar essa projeção; são estas as pálidas imagens daqueles cuja faceta explicitam o inverso do julgamento que o alto clero judaico fizera á cerca de Jesus. O inverso do nazareno, o seu contrário ou a sua confrontação: o cidadão obediente, os crentes da divinização do Estado, os que se sentem confortáveis com o sentir dever cumprido em um término de votação para presidente ou outro representante”

A autópsia da igreja (Pag. 64-65)

Eu digo não à Páscoa! Além de ser uma cerimônia pagã infiltrada como festa cristã, ela simboliza ano após ano a antipatia do ser humano à vida e obra de Jesus. Quando mostramos um Jesus sendo torturado e morto por traficantes (como no caso da favela da rocinha, aonde um grupo de teatro chegou à fazer esta encenação) e escondemos a verdadeira história, pecamos contra o Espírito da verdade, estamos tentando minimizar e ocultar o escândalo que a verdadeira história denuncia. Jesus era, e ainda é um escândalo, tanto para o Estado quanto para a religião.

(I Corintios 1:23) “Mas nós pregamos o Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus (Religião), e loucura para os gregos (Política)”


segunda-feira, 2 de abril de 2012

Big Brother: FBI prepara varredura na internet

Resumo: Atividades de monitoração do FBI abrangerão a internet inteira, principalmente redes sociais como Facebook e Twitter.

A polícia federal dos EUA, conhecida como FBI, divulgou quietamente detalhes de planos para monitorar continuamente as informações mundiais do Facebook, Twitter e outras redes sociais, oferecendo uma rara oportunidade de ver as atividades do FBI. Outros órgãos do governo americano estão também envolvidos na vigilância das mídias de internet, mas não divulgam nada de suas atividades nem revelam até que ponto estão monitorando os usuários.

Os planos do FBI, conforme foram divulgados, incluem a contratação de empresas que construam um sistema de monitoração que ajude o FBI a vasculhar tudo na internet. O documento indica que o FBI quer usar a mídia social para mirar usuários ou grupos de usuários específicos, observando que os agentes do FBI precisam “localizar causadores de problemas… e analisar seus movimentos, vulnerabilidades, limitações e possíveis ações adversas”.

Nem preciso dizer que a moda vai pegar por aqui também, né? Não demorará muito e a polícia federal já vai estar copiando o FBI e começará à monitorar o Orkut, Facebook Twiter, etc. O Brasil é um apêndice dos EUA, tudo que lá começa logo estará aqui.

Fonte: Libertar.in