sábado, 30 de junho de 2012

Ultima hora no FACEBOOK é Ovelhas que Pensam


O Estado Total



O Estado torna-se cada vez mais o mediador de todas as relações humanas, mesmo as espontâneas e informais: um galanteio, um olhar, a simples descortesia de acender um cigarro num ambiente fechado. Aqueles, por exemplo, que vêem algo de bom nas leis contra o fumo são cegos para a monstruosidade que reside no fato de a esfera jurídico-penal invadir o campo das boas-maneiras. Uma prova de que a intromissão do Estado visa menos a proteger as supostas vítimas de abusos do que a suprimir as velhas formas de associação é que as novas legislações de direitos dão sistemática preferência às reivindicações que separam os homens sobre aquelas que os unem. A proteção oficial ao aborto, por exemplo, faz da mulher uma unidade autônoma, que decide ter ou não ter filhos sem a menor necessidade de consulta ao marido. A procriação deixa de ser uma decisão familiar, para tornar-se um trato em separado entre a mulher e o Estado: o divide ut regnes invade o quarto nupcial.

O Estado utiliza-se das reivindicações de autonomia dos indivíduos — reivindicações particularmente fortes nos jovens, nas mulheres, nos discriminados, nos ressentidos de toda sorte —, como de uma isca para prendê-los na armadilha da pior das tiranias. “Libertando” os homens de seus vínculos com a família, a paróquia, o bairro, protegendo-os sob a imensa rede de serviços públicos que os livra da necessidade de recorrer à ajuda de parentes e amigos, oferecendo-lhes o engodo de uma garantia jurídica contra os preconceitos, antipatias, sentimentos e até olhares de seus semelhantes — uma garantia jurídica contra a vida, em suma —, o Estado na verdade os divide, isola e enfraquece, cultivando as suscetibilidades neuróticas que os infantilizam, tornando-lhes impossível, de um lado, criar ligações verdadeiras uns com os outros, e, de outro lado, sobreviver sem o amparo estatal e muito professional help. Niveladas todas as diferenças, cada ser humano torna-se uma unidade abstrata e amorfa, o “cidadão”, nem homem nem mulher, nem criança nem adulto, nem jovem nem velho, cuja soma compõe a massa atomística dos protegidos do Estado — tanto mais inermes e impotentes quanto mais carregados de direitos e garantias. Daí o fenômeno alarmante da adolescência prolongada — hordas de cidadãos, biológica e legalmente adultos, devidamente empregados e no gozo de seus direitos, mas incapazes de assumir qualquer responsabilidade pessoal nas ligações mais íntimas; perpetuamente à espera de que alguém faça algo por eles; cheios de autopiedade e indiferentes aos sofrimentos alheios; sempre trocando de namoradas, de amigos, de terapeutas, de planos e objetivos vitais, com a leviana desenvoltura de quem troca de meias.

(Olavo de Carvalho, Jardim das aflições; ensaio sobre o materialismo e a religião civil. Pag. 172)

quarta-feira, 27 de junho de 2012

A teologia da prosperidade à serviço da nova ordem mundial

No lugar do programa que deveria ir ao ar no dia 09/06/12, o mega líder “malafaia” e o seu desafio nos “presenteou” com uma reprise do programa sobre a teologia da prosperidade do dia 02/06/12. Com isso, ele e seus seguidores terão mais tempo para tentar formular uma desculpa sobre a interpretação fora do contexto em II Coríntios 9:9. Isso mostra a irresponsabilidade, a falta de compromisso com a verdade e o grau de infantilidade desse pastor. O correto seria a busca pela verdade sobre tal teoria e não brigas.
A verdade é que esse ser simplesmente retirou os versículos anteriores de II Coríntios 9:9 que falam sobre a ajuda aos cristãos necessitados em seu programa para transformar a oferta em investimentos no seu ministério, onde a venda de Bíblias e outros produtos são superfaturados (mais de 300%) por terem o nome da sua grife “Editora Central Gospel”.

O mais correto nesse caso é dar o desprezo total até que ele fique no mar do esquecimento com suas tolices. No máximo esse chato vai “sortear” algum blog para falar em seu programa degustando-o como cão guloso que é.

O objetivo aqui não é criticar uma pessoa tão insignificante, infantil e grossa, mas ver como os princípios da teologia da prosperidade levam à apostasia e aos objetivos da nova ordem mundial, seja ela a de Baha’u’llah ou a Illuminati.
Carta pregadores de TV – Resumindo, essa carta diz o seguinte:  
“Controlando os pregadores de TV você pode controlar um grupo de fanáticos”. Veja como a TV Bandeirantes terá o controle desse mega pastor cego e seus seguidores através de um programa que não se fala de valores bíblicos chamado “fala malafaia”.
  
No programa de domingo (10/06/12) , o tal pastor apresentou um curto debate sobre a lei geral da copa. O seu novo programa visa apenas a implantar a agenda global da nova ordem mundial. Ele simplesmente aceitou o joguinho da TV Bandeirantes sobre isso, onde cada um tem uma meta como descrito abaixo (tão estúpido é esse homem que pensa exercer seu direito de “cidadania” dessa forma) :

1) Meta para o pastor - Vender seus produtos superfaturados e promover a antítese de algum tema, nessa caso a lei geral da copa. O mega pastor se colocou contra o uso de bebidas.

2) A oposição – A FIFA apresenta a sua tese que a liberação do uso de bebidas durante a copa de 2014. Tese x antítese ficam se debatendo até que a síntese seja criada; esse é o objetivo da TV Bandeirantes abaixo:

3) A TV Bandeirantes – Promover os interesses Bahá’is e Illuminatis que são:
a) Implantar a unidade da humanidade na ordem mundial de Baha’u’llah
O futebol serve como agente unificador e promove várias causas Bahá’is como o “fim das fronteiras”. É por isso que a maior parte dos jogadores brasileiros jogam no exterior.
b) No iluminismo – O futebol serve para implantar a agenda socialista no Brasil como descrito na notícia abaixo:

Resumo da notícia: “Brasileirão 2012 incentiva debate sobre ‘O Futuro que Nós Queremos’ – O conceitodesenvolvido pelo Grupo Ogilvy no Brasil, é fazer com que as pessoas abram mão da própria identidade e comecem a pensar coletivamente. Os times também levaram ao gramado faixas com o endereço do site ofuturoquenosqueremos.org.br…” (Rádio ONU)

Os ensinamentos do cristo cósmico Baha’u’llah seduz todos aqueles que não servem ao DEUS verdadeiro. É por isso que até o Papa defende esse tipo de ensinamento através dos esportes como descrito abaixo:

“O esporte de equipe, como o futebol, é uma escola importante para educar no sentido do respeito ao outro, também para o adversário esportivo, do espírito de sacrifício pessoal pelo bem de todo o grupo…” (Bento XVI)
E por fim, o jogo de tese x antítese = síntese, tem como meta criar a sociedade de assassinos. Futebol leva ao fanatismo e a lealdade. Como vimos na notícia acima, o objetivo da ONU é fazer com que as pessoas pensem no coletivo, amem a mamãe terra e sejam leais ao governo.

Isso fará com que elas, nesse caso cristãos fanáticos em futebol, matem e entreguem as pessoas ao governo mundial. É por isso que esse pastor passará a falar de forma mais agressiva e com muitas ofensas durante os seus programas, mas não se engane tudo ali é um teatrinho, pois jamais ele ousaria enfrentar as pessoas que falam a verdade.
“E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão.”  (Mateus 10 : 21).

Fonte: ApocalipseTotal

sábado, 16 de junho de 2012

Projeto da Bancada Evangélica propõe que templos religiosos paguem menos pela energia elétrica


(Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania), da Câmara dos Deputados, concedeu no início do ano seu parecer favorável à proposta ligada à Bancada Evangélica que vai permitir que templos religiosos paguem menos pela energia elétrica. Se aprovada, concede subsídios (desconto bancado pelo governo) aos templos e igrejas nas tarifas de energia elétrica.
De autoria do deputado Eduardo Valverde, que morreu no ano passado, a Proposta de Emenda Constitucional 497/2010 altera o artigo 19 da Constituição, o que legisla sobre a laicidade do Estado afirmando: “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança”.

O relator da PEC é o deputado Antônio Bulhões (foto), do PRB-SP, que é o partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, que defende os subsídios afirmando que eles se justificam pelo fato de as igrejas prestarem “relevante trabalho de cunho social em benefício de segmentos carentes da população”.
A PEC do subsídios na tarifa de energia elétrica ainda terá de passar por outras comissões para chegar ao plenário da Câmara. Essa proposta segue a mesma linha do projeto de lei 3044/2011 do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) que, caso fosse aprovada, liberaria recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço para financiar a construção de templos e igrejas.
Fonte: Paulopes

COMENTÁRIO A ultima hora

São nessas horas que nós vemos o quanto são canalhas e mentirosos os pastores evangélicos na sua empreitada de instituir a sua uma teocracia cristã no Brasil. Várias e várias vezes eu assisti o cão guloso Silas Malafaia protestando contra a lei PL122 argumentando que esta lei não veio para proteger os homossexuais, mas que ela é a lei do privilégio, que iria dar privilégios aos gays simplesmente por serem gays. Em muitas outras oportunidades Silas afirmou: nós evangélicos não queremos ser beneficiados pelo Estado, não queremos privilégios, só queremos justiça...

Bem... Para os mau informados, ignorantes e ingênuos que não conhecem a estratégia revolucionária de tomada do poder, isto é um discurso digno de ser aplaudido e apoiado. Contudo para nós, que sabemos que quanto mais o tempo passa mais as conspirações estão ficando visíveis à olho nu; sabemos que discursos com estes são apenas uma fachada para a verdadeira marcha oculta em busca do poder da Terra. Os privilégios começam assim, com coisas pequenas, como pagar menos na conta da energia elétrica

Ora, isto representa o quê? Representa que o Estado está se simpatizando com os evangélicos (protestantes) e lhes dando mais e mais privilégios que outrora não possuíam. Isso é uma concessão do Estado à igreja; exatamente igual ao que ocorreu no século III da nossa era com o imperador Constantino. Constantino acaba com a perseguição concedendo liberdade co cristianismo. Concede Terras, e dá poder político aos bispos, muitos se inserem na política para servirem ao império romano como senadores, etc. Nós estamos vivenciando uma repetição do mesmo quadro vivido no século III.

É assim o início de toda Teocracia cristã: primeiro a igreja recebe privilégios do Império. Depois ela se assenta na cadeira do poder ao lado do imperador. E por último ela própria governa o Estado tornando-se dona do império no lugar do imperador. Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz aos remanescentes desta última hora.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

# AVISO À RESISTÊNCIA


Repassem este vídeo em seus Blogs, Canais, Sites... Entrem na Arca.

Acerca do Desafio do Silas Malafaia




O cão guloso mais famoso do Brasil mais uma vez no intuito de aparecer desafiou os Blogueiros à provarem que a sua teologia da prosperidade está errada.

Meus amigos, não sejamos tão incautos assim! Não sejamos tão ingênuos! Desconfie sempre que algo desse tipo ocorra, principalmente se tratando de tal personagem cuja faceta manipuladora e conspiracionista exemplificam com exatidão a personalidade doentia e perturbada.

Silas está por dentro de tudo o que se passa na internet. Ele sabe quem são os seus críticos mais ferrenhos, conhece os sites, blogs, canais do youtube, páginas do facebook desses críticos. Você que ele passa horas e horas na frente do computador buscando isso? Claro que não! Ele tem pessoas que fazem este trabalho para ele, que o avisam quando uma notícia mais ácida é divulgada sobre ele, ele tem uma editora inteira com assessores, empregados, secretários, etc. Tem falar na empresa de advocacia, que é uma das maiores do Brasil. Ora, Silas já tem uma lista de blogueiros dos quais, se ele pudesse, colocaria na cadeia (como ele mesmo já disse anteriormente em um programa), e nos quais ele aguardará uma resposta sobre o desafio feito.
O teste Iluminati
Os poderosos, quando chegam à um certo patamar de poder e influência, realizam testes freqüentes para verificar o seu poder de influência sobre aqueles aos quais eles querem dominar ou sobre aqueles que eles já dominam.

Eu fico tão decepcionado com alguns amigos de internet quando vejo que nem mesmo pararam para pensar o que estaria por trás desse convite do cão guloso.

Silas Malafaia é psicólogo, e ainda que tenha apenas a graduação em psicologia, ele aprendeu o básico da mente humana, ele sabe muito bem trabalhar a manipulação mental, sabe trabalhar o condicionamento; fora a aptidão natural para falar em público e utilizando a retórica. De modo que o que Silas está fazendo é exatamente isso, testando a capacidade de resposta da oposição, verificando os argumentos que serão dados para depois aprimorar a sua tese. ÔPA!!! Tese - Antítese – Conclusão???

Sim, exatamente. Ele possui a sua tese inicial sobre a prosperidade, porém sabe que existe uma forte oposição na internet que o rebate, então ele lança um desafio público aos críticos para que respondam ao programa especial sobre vida próspera.
É como se fosse um concurso: Quem consegue vencer o Malafaia na teoria sobre a prosperiade? Mande sua resposta, o ganhador terá sua resposta ridicularizada em rede nacional.

Com isso, Silas não somente vacina seus membros e adoradores contra as teses dos críticos como se utiliza do material produzido por eles para aprimorar a sua teses e troná-la (quase) inquestionável. Contudo temos que salientar: sem um pingo de verdade que se fundamente na pessoa de Jesus. É apenas uso de retórica, psicologia manipuladora e textos distorcidos retirados para fora de seus contextos.

Sem falar que lançando um desafio desses, o cão guloso garante uma forte audiência nos dias em que os programas sobre prosperidade serão transmitidos. Audiência esta, dada inclusive pelos críticos (otários) que não se enxergam que estão sendo sugados para dentro da ilusão dele, fazendo parte de seu teatro.

Você, meu amigo critico, que responderá ao desafio do Silas Malafaia em seu site ou Blog, também é uma peça no tabuleiro dele!

É aquela velha história: falem mal de mim, mas falem de mim! Enquanto isso, grande parte dos críticos do Silas Malafaia não são aqueles que saíram da igreja, mas são pastores e membros que não combatem o sistema religioso em si, mas somente a corrupção superficial dele (teologia da prosperidade). Tem um monte de gente assim. Esses são apenas reformadores, como Lutero: querem conservar o sistema apenas retirando a feiúra.

Meus amigos, nós não temos o direito de nos deixarmos ser enganados por essas armadilhas! Abram os olhos. Sempre quando forem chamados pelo Silas Malafaia à realizarem alguma ação, não vão! Ele é astuto e inteligentíssimo. A melhor atitude nesses casos é o desprezo.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

A Nova Ordem Brasileira

“Quem não se movimenta não sente as correntes que o aprisionam”

Rosa Luxemburgo




Eles estão implantando gradualmente os seus planos de governo na mente dos indivíduos, e mais precisamente me refiro aos brasileiros. Acompanhe o progresso de cada uma através das notícias do dia a dia sem a manipulação da mídia e como discernir esses dois sistemas de governo. Devemos antes de tudo pesquisar um pouco de filosofia política, e entender como os governantes pensam e assim entenderemos como os governados pensam. A mente de um governado é apenas um reflexo da mente de quem o governa. É preciso entendermos que existem “dois mundos” nesta relação, duas culturas diferentes, duas formas de “ver o mundo”, duas posturas éticas que irão colocar em práticas duas formas de agir.

Você pode estar sendo manipulado hoje sobre algum assunto. Veja a TV, os jornais e repare se eles querem o nosso apoio para realizar algo, se isto ocorrer, acredite: existe uma intenção por trás, existe uma finalidade.
 
Cultura de rebanho

Seres humanos, apesar de serem animais dotados de razão são governados e vistos por aqueles que os governam como um rebanho qualquer, porém não são um rebanho qualquer, são um rebanho mais difícil de controlar, diferentemente dos bovinos e caninos. “Guiar” seres humanos para um determinado caminho requer astúcia, dissimulação, paciência e ser muito hábil na “arte da palavra” para assim poder convencer o rebanho que lhe dará ouvidos.

Controlar as pessoas pelo medo
Estratégia básica para o condicionamento psicológico de uma grande quantidade de indivíduos. Os seres humanos são vistos e tratados como animais de rebanho, que precisam sere conduzidos por determinados “lugares”, precisam ser levados à acreditarem em determinadas idéias, precisam ter determinados desejos de consumo, etc. Contudo, o medo inutiliza a ação, ele paralisa, condiciona o comportamento. Ter medo da polícia, do exército, da mão poderosa do Estado.
 


Conhecendo a mente daqueles que governam
 
Sun Tzu – “A arte da guerra”

Nicolau Maquiavel – “O príncipe”

Platão – “Político”
(Estude, busque conhecimento, leia)



“Qualquer operação militar tem na dissimulação sua qualidade básica”.

(Sun Tzu: a arte da guerra)

Você sabe o que é dissimular? Segundo o dicionário Aurélio: Encobrimento das próprias intenções, disfarce, fingimento, hipocrisia. Ocultar ou encobrir com astúcia; disfarçar e não revelar os seus sentimentos ou verdadeiras intenções. Bem... Nós vemos muitas guerras e invasões militares pela televisão, daí eu pergunto, será que o que vemos é a verdadeira realidade? E o que está oculto e não vem à tona? Por isso os governados são pastoreados para serem ignorantes e nunca se perguntarem sobre a verdade que está por trás do que se vê. Todos que pertencem à este grupo são essencialmente ingênuos, guiados dia após dia para acreditarem em tudo o que vêem, ouvem e sentem. É preciso conhecer a mente dos governantes, mesmo sendo um governando.

A parábola da Caverna de Platão e o domínio sobre o rebanho
Imaginemos uma caverna subterrânea onde, desde a infância, geração após geração, seres humanos estão aprisionados. As suas pernas e os seus pescoços estão acorrentados de tal modo que são forçados a permanecer sempre no mesmo lugar e a olhar apenas para a frente, não podendo girar a cabeça nem para trás nem para os lados. A entrada da caverna permite que alguma luz exterior ali penetre, de modo a que se possa, na semi-obscuridade, ver o que se passa no interior.
A luz que ali entra provém de uma imensa e alta fogueira externa. Entre ela e os prisioneiros – no exterior, portanto – há um caminho ascendente ao longo do qual foi erguido um muro, como se fosse a parte fronteira de um palco de marionetes. Ao longo desse muro/palco, homens transportam estatuetas de todo tipo, com figuras de seres humanos, animais e todas as coisas.

Por causa da luz da fogueira e da posição ocupada por ela, os prisioneiros vêem na parede do fundo da caverna as sombras das estatuetas transportadas, mas sem poderem ver as próprias estatuetas, nem os homens que as transportam.

Como nunca viram outra coisa, os prisioneiros imaginam que as sombras vistas são as próprias coisas. Ou seja, não podem saber que são sombras, nem podem saber que são imagens (estatuetas de coisas), nem que há outros seres humanos reais fora da caverna. Também não podem saber que vêem porque há a fogueira e a luz no exterior e imaginam que toda a luminosidade possível é a que reina na caverna.

Que aconteceria, pergunta Platão, se alguém libertasse um dos prisioneiros? Que faria um prisioneiro libertado? Em primeiro lugar, olharia toda a caverna, veria os outros seres humanos, o muro, as estatuetas e a fogueira. Embora dolorido pelos anos de imobilidade, começaria a caminhar, dirigindo-se à entrada da caverna e, deparando com o caminho ascendente, por ele seguiria.

Num primeiro momento, ficaria completamente cego, pois a fogueira no mundo verdadeiro é a luz do sol e ele ficaria inteiramente ofuscado por ela. Depois, acostumando-se com a claridade, veria os homens que transportam as estatuetas e, prosseguindo no caminho, veria as próprias coisas, descobrindo que, durante toda sua vida, não vira senão sombras de imagens (as sombras das estatuetas projectadas no fundo da caverna) e que somente agora está a contemplar a própria realidade.

Libertado e conhecedor do mundo, o prisioneiro regressaria à caverna, ficaria desnorteado pela escuridão, contaria aos outros o que viu e tentaria libertá-los.

Que lhe aconteceria nesse retorno? Os demais prisioneiros tentariam ridicularizá-lo, não acreditariam nas suas palavras e, se não conseguissem silenciá-lo com os seus gracejos, tentariam fazê-lo espancando-o e, se mesmo assim, ele teimasse em afirmar o que viu e os convidasse a sair da caverna, certamente acabariam por matá-lo. Mas, quem sabe, alguns poderiam ouvi-lo e, contra a vontade dos demais, também decidissem sair da caverna rumo à realidade.

O que é a caverna? O mundo em que vivemos. Que são as sombras das estatuetas? As coisas materiais e sensoriais que percebemos. Quem é o prisioneiro que se liberta e sai da caverna? O filósofo. O que é a luz exterior do sol? A luz da verdade. O que é o mundo exterior? O mundo das idéias verdadeiras ou da verdadeira realidade. Qual o instrumento que liberta o filósofo e com o qual ele deseja libertar os outros prisioneiros? A interrogação. O que é a visão do mundo real iluminado? A filosofia. Por que é que os prisioneiros ridicularizam, espancam e matam o filósofo (Platão está a referir-se à condenação de Sócrates à morte pela assembléia ateniense?)? Porque imaginam que o mundo sensível é o mundo real e o único verdadeiro.