Diversos

Neymar e apedofilia

Neymar vai encarar uma nova responsabilidade na vida. O atacante do Santos engravidou uma adolescente de 17 anos e, nesta quinta-feira, se manifestou publicamente, afirmando que pretende assumir a paternidade e cumprir com todas as obrigações que a situação exige. Em nota oficial, disse que deseja preservar a identidade da mãe e que a criança é bem vinda.

O jovem ídolo de 19 anos estava orientado a não expor o fato até domingo, após a final do Paulistão contra o Corinthians, mas divulgou um comunicado em seu em site oficial confirmando a história, dizendo estar preparado para o desafio de ser pai. A expectativa é que o atleta se pronuncie mais sobre o caso na chegada da delegação santista ao Brasil nesta quinta-feira - o Santos jogou na noite de quarta contra o Once Caldas, na Colômbia, pela Libertadores (vitória por 1 a 0).

Neymar foi avisado sobre a gravidez da menor de idade na quinta-feira passada. Assim que comunicado, o atacante disse ser alta a possibilidade da paternidade e já tratou de ir à casa da jovem conversar com os pais.

A adolescente está grávida de quase cinco meses, e Neymar já assumiu o pagamento de exames e consultas médicas necessárias durante a gestação. Um exame de DNA ainda deve ser realizado para certificar a paternidade, a pedido de pessoas próximas a Neymar.

O relacionamento de Neymar com a menor de idade começou no ano passado, quando o atacante tinha 18 anos. O ídolo santista frequentava a casa da jovem e mantinha bom relacionamento com os familiares da garota.

A intenção do Santos era a de proteger Neymar da exposição na mídia com o polêmico tema o maior tempo possível. Após ser comunicado da gravidez, o santista entrou em campo diante do Corinthians, no último domingo, e Once Caldas, na quarta-feira.

O filho de Neymar é esperado para nascer no mês de setembro. O atacante assegurou aos funcionários do Santos que já está preparado para assumir a nova responsabilidade e mostrou-se pouco abalado com o tema.

Fonte: O galileo

COMENTÁRIO: (A última hora)
Eu pessoalmente admiro bastante o Neymar como jogador, e absolutamente não creio que ele tenha cometido nenhum crime, pois as leis são ridículas para julgar casos como o dele. A diferença é de 2 anos, Neymar tem 19 e a menina tem 17; praticamente iguais. Porém... Vai eu tentar imitá-lo, já sabe o que aconteceria, não é? Nesse país nojento aonde jumentos são os legisladores para os humanos, não podemos deixar essa passar:

 

Seria Wellington Menezes de Oliveira não seria também uma vitima?


Se você acha que Wellington Menezes é assassino, psicopata, monstro, animal e qualquer outra alcunha pejorativa, convido você leitor a uma reflexão.
Não a dúvidas sobre a atrocidade do ato, mas ainda existe uma dúvida, ao menos para mim, e gostaria de instigá-la também em você, caro leitor:
Seria Wellington Menezes também uma vitima?
O que levou a um ser humano cometer esse ato? Porque ele escolheu cometê-lo?
Bem, para começar, eu não escolho lados, sendo que pretendo ser totalmente imparcial e não olhar por nenhuma ideologia, política, linha de pensamento ou etc. não estou do lado do assassino e nem das vitimas. Estou do lado da humanidade, e humanidade tão somente.
Primeiramente, Wellington tinha distúrbios mentais genéticos, herdados de sua mãe biológica, e distúrbios mentais psicológicos, que os adquiriu durante a vida. Com uma mente fragilizada, qualquer crença ou ideologia é facilmente introduzida no caráter da pessoa, a moldando como um boneco de corda, basta então torcer um pouco para que ele saia andando.
Wellington foi uma vitima das circunstancias, da sociedade, da humanidade. Em matéria publicada no portal Terra, o psicólogo Alexandre Passos, que atua há 20 anos no tratamento de doentes mentais na rede pública do Rio disse:
“O mais importante a ressaltar neste momento é que o Wellington não é apenas um monstro. Essa visão apazigua a sociedade. Todas as questões são centradas nele, mas o fato, a rigor, é que ele era um doente mental sem tratamento. Faltou um olhar em direção a vários sinais que ele vinha emitindo desde a infância e a adolescência, como introversão e isolamento pessoal”
Ele disse uma coisa que é o centro da maleficência que o brasileiro impôs sobre o rapaz “Essa visão apazigua a sociedade” imaginá-lo como um monstro, assassino, psicopata, cretino, possuído pelo capeta, é bem mais fácil que procurar entender o ser humano que uma vez existiu e era conhecido por Wellington Menezes.
Eu ressalto, torno a falar, o ser humano. Era isso que ele era e entendia muito bem sua situação, como disse em sua carta. Era um ser humano afetado pela sociedade opressora em que vivemos, onde a igreja cristã praticamente força os ensinamentos e dogmas de sua religião goela a baixo em todos nós, onde a mídia simplesmente se esforça para manter essa imagem, esse credo.
É bem fácil apontar o dedo, “julgar o próximo”. Dizer “aquele é o vilão”. Isso é besteira. Ele não é vilão, ele é uma conseqüência. O verdadeiro vilão está nas raízes de seus problemas, de seus sentimentos mal resolvidos, de seus problemas, de tudo que sentia e que ninguém compreendia. Da sociedade que se tornou uma “violência tornada louca”, como disse Edgar Morrin, e do senso comum maldoso, mesquinho, que atira pedras na primeira chance, julgando sem pensar ou analisar os fatos.
Usando as palavras de Pedro Porfírio:
Sejamos razoáveis: esse inusitado massacre numa escola pública do bairro proletário de Realengo é a erupção de um tumor nesse organismo social fragilizado por uma metástase de hipocrisia e mistificação.”
Como disse anteriormente, uma mente fragilizada, ao ser exposta (e imposta) por uma visão de credo com pastores e padres esbravejando e pregando com tamanha dedicação, logo se deixa levar e aceita aquilo como verdade, a verdade absoluta da bíblia, levando ao modo literal todas as letras ali escritas. Voltando as palavras de Pedro Porfírio:
Não há dúvida que, pressionado pela condição de filho adotivo provavelmente discriminado pelos irmãos, cuja mãe biológica tinha problemas mentais, e possuído de um certo complexo de rejeição, ele acabou sofrendo influências da pregação evangélica, que ocupa grandes espaços na televisão e no rádio, oferecendo todo tipo de cura para todo tipo de problema.”
Não seria o primeiro, afinal, quantos inocentes foram mortos na “santa inquisição”, aonde pessoas matavam em nome de Deus?
Tendo isso em mente, partimos agora para o que eu considero o verdadeiro “vilão”:
A sociedade.
Não? Imagine se tivéssemos duas pessoas exatamente iguais, com exatamente os mesmos problemas, criadas em duas famílias completamente diferentes, uma com o fanatismo religioso e violência televisiva, e outro com liberdade de pensamento e educação visando misericórdia, bondade e fraternidade. O que aconteceria com cada um deles? Podemos ter uma idéia, fazendo uma rápida imagem mental de cada um, tomando como base Wellington.
Nossa sociedade é tão voltada ao ódio, a raiva e a violência, que na rede social “Orkut”, onde a massa do “povão” entra na inclusão digital, que eu mostro isso a você para que pare e reflita, uma noticia também do portal Terra:
“Em menos de 24 horas, cerca de 80 comunidades foram criadas com a foto e com o nome do atirador. Na descrição delas, palavras de ódio, como “Vai arder no inferno” e “Que sua alma queime diante do CAPETA! Que seu descanso seja eterno NAS CALDEIRAS DO INFERNO. Que seja feita a vontade de milhões e milhões pessoas”, além de xingamentos.
Em meio as dezenas de comunidades hostilizando o atirador, uma destoava. Criada para defender o assassino, a “Wellington será perdoado” – cuja autora dizia em seu perfil a frase “Eu sei o que você sentia”-, despertou ainda mais revolta entre usuários do Orkut. Até o fim da tarde desta sexta-feira (8), entretanto, contava com 34 membros.”
Todos os noticiários agora mostram aquele ser humano como um monstro, um animal. Jornalistas formadores de opiniões, com trezentos diplomas, agora instigam a população a esse pensamento, a ver tudo de um só prisma, daquele mais fácil. A coisa mais fácil é alimentar a raiva e o ódio do ser humano, enquanto o perdão e o amor é bem mais difícil. Em vez da Dilma ficar falando as mesmas besteiras de sempre e o mesmo showzinho sensacionalista, porque ela não dá mais apoio a saúde mental do povo brasileiro? Usando agora uma frase da música “Até quando” do Gabriel o pensador “A programação existe pra manter você na frente, na frente da TV, que é pra te entreter, que é pra você não ver que o programado é você.”
Eu li uma barbaridade, dentre tantas outras, que não deveriam acolher nada do que ele dizia na carta, mas eu já penso o contrário. Ainda que seus atos sejam monstruosos, vejo em seus desejos nada mais que bondade e o desejo que todo filho tem de ficar com sua mãe. Repito, vejo em sua CARTA, não em seus ATOS.
Outra barbaridade é essa, que foi também posta no portal Terra, e que levantou um ótimo ponto para essa discussão:
“Monstro! Tantas crianças com sonhos e agora estão mortas! Penso na tristeza de suas famílias… Algumas escaparam da morte Graças a DEUS… Mas há quem não sobreviveu… O luto de todo país! – diz uma das comunidades.”
Ignorando a mensagem inútil (como eu disse, vou ser imparcial, sem criticar a religião de ninguém) a ultima frase me chamou a atenção como fogos de artifício na virada do ano, o luto de todo país!
Hipócritas. Claro que são. Estão de luto pelos mortos no Iraque? Afeganistão? Líbia? Todo oriente médio? Japão? Haiti? Não? Então são hipócritas. Muito mais morte, mais sofrimento, mais tristeza, muito mais injustiça e vocês não estão de luto. Estão de luto pra aparecer no Orkut que agora você está de luto, para “curtir” o luto no facebook e assim por diante.
Por fim, gostaria de deixar claro que não estou do lado de ninguém, mas luto para que a humanidade abra os olhos de uma vez, perceba a sociedade doente em que se submete, ao comportamento doentio que nos acostumamos a seguir todos os dias, ao comodismo de pegarmos todas as informações mastigadas da mídia e acatar como nossa opinião, nosso ponto de vista.
Reflitam
COMENTÁRIO: (A última hora)
Interessante texto, pois o encontrei ontem, e mesmo sem tê-lo lido eu mesmo postei o mesmo pensamento de compaixão e repúdio à sociedade aqui no blog. Isso indica que ainda temos seres humanos vivos no planeta terra sendo dominado por máquinas; a Skynet ainda não conseguiu dominar todos os humanos. Parabenizo o Demétrio por sua sensibilidade. Assim como a autora anônima da comunidade do Orkut, eu também saliento: mesmo não concordando com o que você fez, eu sei o que você sentia. Te perdoou.


Batman e coringa






Êeeeeepa

0 comentários

Que coisa, não!